A História revela que a Pós-Modernidade traz, de roldão, profundas transformações nas diversas dimensões da vida e da sociedade. Percebe-se uma efervescência na estrutura social brasileira que questiona a ordem e o Estado. Tais reivindicações e questionamentos desafiam as Instituições de Ensino à tecitura de uma reflexão e produção científica acerca dos fenômenos e das implicações dos eventos históricos, quiçá, jurídicos.
Assim, diante da missão assumida de fomentar a produção acadêmica a Revista Judicare da Faculdade de Direito de Alta Floresta, que possui classificação WebQualis e ISSN, apresenta à comunidade o presente número, ressaltando a intensa contribuição exógena, isto é, de maneira inédita se verifica uma intensa procura por parte de autores de outras instituições de ensino e de outros estados da federação. Isso significa uma consolidação deste espaço de saber, rumo à “ecologia de saberes” (Boaventura de Souza Santos).
Em termos conteudísticos, os artigos, ora apresentados, apresentam perfeita adequação com os eixos assumidos pela Revista que são o Direito Agrário, Ambiental e Constitucional.
Assim, no eixo do Direito Agrário-Ambiental problematizam-se questões pertinentes à propriedade; função social da propriedade; reforma agrária e jurisdicionalização dos conflitos agrários.
Quanto ao Direito Constitucional, destacam-se temáticas, tais como: uso de tornozeleiras eletrônicas; tráfico de drogas; alienação parental com reflexo no direito de família; educação; comunição.
Em sentido amplo, a presente produção demonstra o “elã vital” não só da Revista Judicare, mas da Iniciação Científica da Faculdade de Direito de Alta Floresta, concretizado na atuação responsável e consequente de professores e acadêmicos comprometidos com a produção do saber sem amarras de ideologias e censuras.
Aos que se aventuram ao prazeroso e perigoso mundo da leitura, da hermenêutica, o Editor da presente deseja boa leitura crítica.
Roberto de Paula

Publicado: 2015-03-10